Quem nunca sonhou de ter um jardim ornamental de plantas, de arbustos que necessitam praticamente nenhuma rega? Sobretudo no Oásis, esta pergunta girou-me frequentemente na cabeça, porque em zona mediterrânica, a rega regular é indispensável. Pela minha experiência, aqui a rega ocupa por conseguinte uma boa parte do tempo consagrado ao tratamento dum jardim ornamental. A resposta à esta pergunta surgiu uma noite entre amigos,  conversando precisamente de jardinagem. Aparentemente, é possível ter um jardim ornamental sem rega. Disse-me que isto seria realmente genial. Imaginem??? Poderíamos jardinar com a seca (digam um verão quase sem chuva) e realizar um jardim bonito e original.

jardin_sec1Foi assim que encontrei pioneiros no Sul da França que praticam este tipo de jardinagem. Trata-se de um viveiro especializado nas plantas sem rega (em fim de artigo encontrarão o seu contacto). Podem là encontrar todas as espécies de plantas e de arbustos dedicados à esta prática, com possibilidade de entrega na França e na Europa. Procurei-me os dois excelentes livros : “Para um jardim sem rega” e “Alternativas à grama” nos quais encontrarao como certas espécies fazem para sobreviver quando a água está pouca disponível, como preparar o solo para plantar-as, como manter-as e a descrição de uma gama de vegetais adaptados para um jardim sem rega.

Durante as suas evoluções, as plantas das regiões à clima mediterrânico desenvolveram estratégias notáveis de adaptação à seca. Por exemplo, uma das estratégias mais simples para escapar à seca para certas espécies, é desaparecer quando as condições tornam-se difíceis. A planta anual germina, cresce, floresce e produz as suas sementes num lapso de tempo curto. As sementes uma vez disseminadas germinarão à primeira chuva outonal e um ciclo novo começara. Outras desenvolvem um duplo sistema raciniano, como a esteva que no primeiro ano vai privilegiar o desenvolvimento raciniano. Estas vão atingir o mais rapidamente possível a profundidade que vai permitir a planta sobreviver durante o primeiro verão. Durante este tempo a parte aérea desenvolve-se devagar. Seguidamente após o segundo verão, a esteva desenvolve além das raizes fundas, raizes superficiais muito ramificadas para aproveitar da humidade que aproveitam na cada chuva. Estas raizes podem ser longas e afastar-se mais que podemos imaginar do pé da planta. Estas raizes superficiais alongam-se tanto mais que o ambiente é árido, aumentando assim a superfície onde a planta extrai a água. Estas estratégias de adaptação à seca são numerosas, além das duas cidades abaixo. Há também plantas que reduzem a sua transpiração, ou que se escondem no solo, ou que se põem em letargia estival, outros que diminuem a superfície de exposição, ou que captam a humidade no ar, que conservam a água… Como vê, qual inteligência criativa rico de ensino emite-nos o reino vegetal.

jardin_sec3Quando encontrei este conceito fabuloso de jardim sem rega , não pude impedir-me começar este tipo de jardim no Oásis procurando-me uma vez por ano algumas plantas ao referido viveiro. Assim cada ano, procuro-me uma meia-dúzia de plantas para estofar pouco a pouco este jardim e por isso antes do outono (o outono é o ideal para plantar-o). Os conselhos de plantação, designadamente, devem ser bem seguidos  para garantir um bom desenvolvimento das plantas. A escolha das espécies a plantarem, o tipo de solo, o grau de exposição ao sol, o nível de seca deve também tomar-se em conta. Nao vou falar aqui destes conselhos, porque estao muito bem explicados no sítio Internet do viveiro e também nos livros indicados abaixo.

 

jardin_sec2Ao Oásis, a explosão das flores, as cores concentra-se particularmente à primavera. Seguidamente no verão, as flores fazem-se raras… e o amarelo palha associa-se com o verde das folhas dos sobreiros, medronheiros, estevas, pistachios lentiscus…. Por conseguinte privilegiei plantas sem rega que têm um período de floreio durante o verão no qual em geral as cores estão poucas presentes. E à minha grande surpresa, estas existem, certamente poucas numerosas e hoje ao Oásis, temos já cerca de dúzias de plantas que têm a particularidade de florescer em verão e aquilo realmente sem rega (Dicliptera suberecta, epilobium canum, gaura lindheimeri, bulbine frutescens, bupleureum fruticosum, salvia chamelaeagnea…). Sonhamos aqui, da mesma maneira que para os legumes e os frutos, ter plantas florescidas todo o ano, e como pôdem ler até agora, isto é possível… O jardim sem rega aborda o seu terceiro ano ao Oásis, e ornamenta-se cada ano, onde as plantas a pouco e pouco alargem-se, crescem para oferecer-nos cada dia belos espetáculos de cores, de perfumes… Então? aquilo tenta-os também realizar um jardim sem rega???

 

Jorge ALVES.